4º festival de folclore da Linhaceira

O Rancho Folclórico de Linhaceira (RFL), da A.C.R. de Linhaceira (ACRL), completou o seu 3º evento anual.
Quem assistiu ao 4º Festival de Folclore organizado por este grupo do concelho de Tomar, não pode deixar de constatar a extrema organização com que foi levado a cabo assim como a grande qualidade dos grupos participantes, que no seu conjunto ofereceram momentos de verdadeira representação etnográfica para gáudio de um público fiel e que não se amedrontou com uma noite que se anunciava agreste.

O apoio da ACRL e da Comissão da Igreja de Nª Srª do Conforto dos Aflitos (Linhaceira) foram determinantes para uma muito digna recepção a todos quantos visitarem esta aldeia no passado dia 21 de Julho.
O Rancho Folclórico de Linhaceira, enquanto anfitrião e primeiro grupo a subir ao palco, mostrou a sua juventude com valor e com o orgulho de representar aquilo que a sua terra tem de melhor no que respeita ás suas tradições populares. Insistiu nos toques aerofónicos mais tradicionais e teve o seu ponto alto na representação da maneira garrida e alegre como ainda se “bate o fado” em Linhaceira. O trajar sóbrio, a mestria da sua tocata e a humildade dos seus bailadores foram aspectos marcantes da sua prestação.
Da linda região de Aveiro, o Grupo Folclórico de Santo António de Vagos logrou encantar todo público com a sua apresentação. Com verdade e experiência souberam transmitir o embalo melodioso dos cantares das gentes do Mar. Os moliceiros em trajo de trabalho, eles e elas descalços, os garridos trajos de festa descreveram com a melhor nota toda a força que existe na humildade da mulher e do homem Portugueses.
De Bucelas, Loures, o Grupo de Folclore e Etnografia “Ceifeiros” da Bemposta, quase sem suporte de uma tocata, mostrou no que pode resultar um grande trabalho de preparação que decerto houveram para que nessa noite se pudessem escutar um rancho de camponeses (ceifeiros) no caminho do campo, os pregões populares e as modas do baile cantadas e bailadas ao jeito da região Saloia. Não sendo o folclorista um actor, todos os elementos deste grupo demonstraram com alma na voz, que as diversas abordagens ao espectáculo Folclórico coexistem e lhe dão crédito quando assentes numa verdadeira recolha e transmitidas com simplicidade.
Fazendo jus ao epíteto de “bailadores de excepção”, o Rancho Folclórico Sociedade Recreio Educativa da Romeira (Santarém) agradou e acarinhou um público apreciador. O “vira da rapioca”, “a morna” e o “fandango”
foram apenas três desses momentos de muita boa execução e preparação técnica. Este grupo, assim como a maioria dos participantes no 4ºFFL, apresentou bailadores muitos jovens. Sinal muito positivo e de esperança para que muito justamente continuem a ser considerados um dos mais autênticos embaixadores do Bairro Ribatejano.
De Tomar, o Rancho Folclórico de São Miguel de Carregueiros, com modas alegres e bem cantadas evidenciaram muita experiência, com a presença de muitos pares “adultos” o que no folclore é sempre um sinal de grande crédito e de valor para um grupo. A postura, a elegância e o á vontade demonstrado nas modas de roda, teve o feliz remate na apresentação do “fado batido”. Os exímios cantadores do rancho, que em conjunto ou ao desafio ofereceram ao público a alegria e a “reinação” que tão bem caracteriza a alegria do folclore do Alto Ribatejo.

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close