Estações

estaçõesÉ inevitável a passagem de Outonos melancólicos e de Invernos, que parecem gelar todas as alegrias. Mas o importante é enfrentar destemidamente as contrariedades, combatendo os dias escuros e não nos deixando abater pelas primeiras nuvens negras. No final, a Primavera acabará por chegar. E como prémio a essa resistência, também haverá um Verão a aguardar-nos com as suas eternas tardes luminosas. São os ciclos da natureza que também nós, por vezes, tentamos saltar como se fôssemos imunes às estações e aos azares da vida. O nosso estado de ânimo, o amor e o optimismo perseguem destinos semelhantes. Não se podem forçar as alegrias e muito menos continuar a viver na penumbra dos Invernos mais escuros. Há manhãs, em que acordamos com vontade de chorar por tudo aquilo, que já perdemos e outras, em que o mundo se nos apresenta como uma interminável sucessão de portas abertas à esperança. Não nos deixemos abater, quando chegam os dias sombrios. Nenhum Inverno resiste eternamente num coração, que procura uma carícia. Se olharmos fixamente, conseguiremos vislumbrar o horizonte azul e a esperança. Basta um pequeno sorriso para levantar o ânimo nas manhãs mais sombrias. Recordemos a passagem das estações, esse acaso imprevisível, que se cruza diariamente com a nossa própria natureza.No nosso olhar sempre se confundiram os Outonos com as Primaveras.

Deixe o seu comentário